PROJETO PRETENDE CRIAR REGIÃO METROPOLITANA DE MOSSORÓ

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014
Larissa Rosado durante sessão na Assembleia Legislativa (Foto: Divulgação/Assembleia Legislativa) 
O projeto é de autoria da deputada Larissa Rosado

Um projeto de lei protocolado na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte cria uma região metropolitana para Mossoró, cidade da região Oeste do estado. De autoria da deputada estadual Larissa Rosado (PSB), a matéria detalha que o território será composto por 26 municípios. Ainda segundo o texto, a região metropolitana será administrada por um conselho composto por Governo do Estado, prefeitos das 26 cidades e um membro de reconhecida capacidade técnica e ou administrativa.

De acordo com o projeto, a região será integrada pelos municípios de Mossoró, Tibau, Areia Branca, Grossos, Porto do Mangue, Carnaubais, Ipanguaçu, Assu, Itajá, Governador Dix-Sept Rosado, Caraúbas, Patu, Umarizal, Campo Grande, Triunfo Potiguar, Janduís, Apodi, Baraúna, Severiano Melo, Upanema, Serra do Mel, Rodolfo Fernandes, Olho D’Água do Borges, Viçosa, Felipe Guerra e Riacho da Cruz.

“O objetivo é criar instrumentos de planejamento, execução e fomento de ações e políticas públicas entre os 26 municípios envolvidos. Recursos para a construção de obras de infraestrutura, tarifa telefônica única, além de acesso a políticas públicas unificadas são algumas das vantagens adquiridas pelos municípios que comporão a região metropolitana de Mossoró” justificou a deputada.

A deputada disse ainda que o plano metropolitano de ordenamento territorial não deve ficar restrito a programas setoriais distintos e isolados, sem comunicação entre si. “Questões como transporte, saneamento, habitação e segurança devem ser tratadas de maneira integrada e não como gestão separada” afirmou.

Atualmente a única região metropolitana do estado é a Grande Natal, composta pelas cidades de Natal, Parnamirim, São José de Mipibu, Macaíba, São Gonçalo do Amarante, Ceará-Mirim, Extremoz, Nísia Floresta, Monte Alegre e Vera Cruz.

Fonte: G1/RN

0 comentários: