PAU DOS FERROS REGISTROU APENAS DOIS HOMICÍDIOS EM ONZE MESES

domingo, 1 de dezembro de 2013
Nos últimos dez anos, no Brasil, as pequenas e médias cidades do Nordeste têm experimentado uma epidemia de homicídios, cujas vítimas, majoritariamente, são jovens entre 15 e 24 anos. Esse aumento de casos de crimes contra a vida coincide, indubitavelmente, com a chegada do crack, que subverteu valores, e criou um exército de usuários e vendedores, prontos a matar e morrer em nome da "pedra", nome pelo qual é conhecido o subproduto da produção da cocaína. Nesse contexto, várias cidades têm ostentado índices alarmantes de homicídios.

Na região do Alto-Oeste potiguar, o município de Pau dos Ferros, hoje com mais de 30 mil habitantes, cidade-polo e localizada próxima a divisa dos Estados do Ceará e Paraíba, desperta atenção justamente pela baixa ocorrência de homicídios. Até a noite desta sexta-feira, 29, somente dois homicídios haviam sido registrados durante todo o ano de 2013. Um deles ocorreu há menos de dez dias, quando o jardineiro Dimas Adriano da Silva matou com uma facada o desempregado Francisco de Assis da Silva, conhecido como "Rorola". O acusado foi preso em flagrante e está à espera de julgamento.

Já o primeiro homicídio havia ocorrido no dia 08.02.2013, e vitimou o adolescente Francisco Leandro Assis de Oliveira, 17 anos, morto por dois homens em uma moto. O caso permanece sob investigação. De acordo com o bacharel Inácio Rodrigues, titular da Quarta Delegacia Regional de Polícia Civil (4ª DRPC), "Considerando esses números, durante 11 meses de 2013, Pau dos Ferros ostentou taxa melhor que a da Europa quanto ao número de homicídios". Segundo ele, "enquanto a média do Continente Europeu é 3, cinco mortes por cem mil habitantes, com um homicídio. A taxa de Pau dos Ferros era de 3,3 assassinatos para cada cem mi habitante. Agora foi para 6,6, ainda muito baixo para os padrões atuais do Estado do RN. Dos mais de 1.500 assassinatos ocorridos no RN este ano, Pau dos Ferros contribuiu com apenas 0,13%".

Também, de conformidade com Inácio Rodrigues, os baixos números de homicídios têm relação direta com várias operações contra o tráfico realizadas desde o ano de 2010. "A primeira foi a Operação Stone, em 2010, quando depois de seis meses de profunda investigação, prendemos 35 pessoas entre Ceará e Rio Grande do Norte, identificando e neutralizado um grande esquema de tráfico entre os dois Estados. Em vez de prender somente os varejistas, resolvemos pesquisar quem eram os verdadeiros "donos" da droga. Esse processo já foi julgado, e os réus pegaram penas que variaram de quatro a 17 anos", explica o delegado.

União das polícias tem sido implacável contra a criminalidade

A reportagem do jornal GAZETA DO OESTE, embasada em provas documentais da polícia acerca do baixo índice de violência na região da Tromba do Elefante - e que esbarra em algo inverso se mostrada a real situação de municípios de porte igual Pau dos Ferros, na região de Mossoró ou da Grande Natal - foi em busca de decifrar esse fenômeno. De imediato veio a resposta. Trata-se de uma ação contra a criminalidade, elaborada por pessoas comprometidas com o bem-estar da população. E a partir de todo esse planejamento, entram as instituições Polícia Civil, Polícia Militar, Poder Judiciário e Ministério Público, que unidas têm oferecido uma resposta à altura para combater a criminalidade.

"Não restam dúvidas de que a ação firme contra o crime em geral, e principalmente o tráfico de drogas, é que coloca Pau dos Ferros com índices de homicídios ínfimos se comparados até a cidades menores. É preciso salientar que tal resultado é fruto da ação coordenada de Polícia Civil, Poder Judiciário, Ministério Público e Polícia Militar. Assaltos também são poucos e raros em Pau dos Ferros. Importante frisar que a equipe de investigação da Delegacia de Pau dos Ferros é mista, formada por policiais civis e militares, e é referência no Alto-Oeste do RN, Vale do Jaguaribe Cearense e Sertão Paraibano, quando se trata de inteligência policial", disse.

São realizadas várias operações policiais, sob o comando de Inácio Rodrigues, delegado de Polícia Civil, e o tenente-coronel Romualdo Borges de Farias, no lado potiguar, e as corporações dos Estados da Paraíba, como mostra o quadro abaixo. 
Fonte: Gazeta do Oeste via Nosso Paraná
NOTA DO PATUNEWS: Enquanto isso em Patu já foram registrados oito homicídios em 2013, e para piorar a sensação de insegurança, a sociedade representada pelos integrantes do tribunal do júri da última pauta de julgamentos ocorrida recentemente na comarca de Patu, absolveu todos os réus acusados por homicídio ou tentativa de homicídio, para depois cobrar da polícia quando os índices de violência estão alarmantes em nosso município.


0 comentários: