ARTIGO: ABAIXO A MORDAÇA

terça-feira, 14 de maio de 2013


A visão míope e deformada que temos da sociedade brasileira, leva-nos a uma  compreensão distorcida dos fatos críticos e absurdos que se dão ‘’á luz do dia  numa sociedade dita democrática e participativa. Não permite por exemplo, que percebamos as reais intenções que se camuflam por detrás da Emenda Constitucional  33, que é um verdadeiro atentado ao nosso Estado Democrático Direito, que cambaleia em busca de uma sociedade mais equânime e justa.

Face ao assédio, a violência, e a indignidade que se agiganta nas mãos dos maus e dos poderosos, numa ordem sistêmica contemporânea que desconhece a supremacia e a intangibilidade de uma sociedade democrática, passo a chamar a nossa atenção, para que fiquemos vigilantes para as proposições dos falsos líderes, dos que se autodenominam como a solução, porque na realidade o Estado Democrático de Direito além de ameaçado, marcha a passos largos para o seu próprio abismo, e junto a esses passos que dá a nossa República, segue-se também a escravitude e a perda de conquistas históricas.  A aprovação de tal emenda seria a decretação da perda de lutas pugilizadas em favor de uma sociedade para todos. 

Nada impede que percebamos que ainda ecoam as vozes indesejadas dos tiranos, principalmente na omissão e no silêncio dos homens e mulheres de denodo, retidão e espírito republicano. Aqueles têm conduzido com mão de ferro o destino e a felicidade do povo das terras Brasílicas, espraiam nos quatro ventos de nosso nação, a podridão de suas enganadoras faláceas, prometem e não cumprem, perjuram em vão. Arregimentam-se a partir de seus interesses particulares, oligárquicos, imperialistas, e escravagistas. São os reinos, os tronos em sucessão, os tiranos que acima de tudo e sobre todos escravizam, massacram, massificam,roubam, ludibriam, e discriminam os injustiçados pelo sistema cruel que vige, amaldiçoando-os com a maldita mordaça, e com a ignorância de sua própria condição. São os cães, os Herodes e os Herodianos, os Golias, que estão em toda parte: nos Legislativos, nos Executivos bem como no Judiciário.

 Neste tocante, amordaçar o Ministério Público, função essencial á Justiça, é o mesmo que restabelecer o regime  ditatorial, o governo dos maus pelos bons,  fazer triunfar a impunidade e acobertar aqueles que  se arregimentam nas garras do poder  e refestelam seus próprios egos e interesses no seio da impunidade. Na nossa República o Cidadão não pode ser visto de modo reflexo ou oblíquo este não pode ficar a mercê da corrupção, e assistir ao silêncio ou mesmo ao engessamento de um de seus maiores veleiros , o ‘’MP’’. O desejo da igualdade deve levantar-se de seu próprio sono, e pelejar pela independência e sobretudo pela existência de uma instituição tão digna quanto importante a nossa democracia, e não mais ficarmos despercebidos as más intenções anti-democráticas  que se agigantam entre os corruptos e malfeitores sociais, e só assim, sepultarmos no calabouço do esquecimento a hipocrisia que é tão comum entre os ‘’poderosos’’. Dessa forma, movidos pelo princípios éticos, que são de fato eficazes, é que o Ministério Público, guardião da sociedade poderá dá a sua contribuição (bem vinda e necessária)  na luta contra o poder assintoso da corrupção que corroe, os pilares e o crescimento da sociedade brasileira. Portanto, na hipótese de aprovação da famigerada  ‘’PEC37’’, assistiremos a uma das maiores excrescências constitucionais já vistas, e pior do que isso, será ver tudo ir pela vala vala comum da impunidade e do descaso.

Autor: Rodrigo Bonsuê Feitosa

0 comentários: