O HOMEM DO CAMPO ESPERA MAIS AÇÃO E MENOS CONVERSA NO COMBATE AOS EFEITOS DA SECA

terça-feira, 16 de abril de 2013
 
O produtor rural do Rio Grande do Norte não aguenta mais conversas, pronunciamentos, audiências públicas, reuniões e outros.

O que o sofrido homem do campo espera é ação. Espera que o governo do Estado instale os milhares de poços, que já estão perfurados, perfure outros tantos, que aumentem os carros pipas para que a água possa chegar com maior frequência nas zonas rurais necessitadas.

Que a bancada federal resolva de uma vez por todas o problema da falta de milho, que é constante, bem como que a Conab possa disponibilizar outros tipos de rações, como por exemplo, soja, torta de algodão e etc.

A seca que o Rio Grande do Norte atravessa já é a maior do século, caso soluções urgentes não sejam tomadas, no final de 2013 restará pouco mais de vinte por cento do rebanho de gado bovino, de um total de um milhão de cabeças no início da seca no ano passado.
 
Fonte: Robson Pires

2 comentários:

Anônimo disse...

Alguém duvida que a Presidente Dilma será a mais votada na região Nordeste? todo povo tem o governo que merece!

Anônimo disse...

Pelo menos não temos saques aos comércios como aconteciam noutras secas.