NÃO PODE SER VERDADE: JUÍZA SOFRE REPRESENTAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO POR LIBERAR ESCUTA TELEFÔNICA NO CASO PORCINO JÚNIOR

quinta-feira, 26 de julho de 2012
A juíza da comarca Ceará-Mirim, Valentina Damasceno, sofreu representação do Ministério Público por conceder a liberação das escutas telefônicas no caso da investigação do sequestro de Porcino Segundo, Popó, filho do empresário mossoroense Porcino Júnior. A juíza confirmou que já foi notificada pela promotora Isabel Pinheiro, representante do MP em Ceará-Mirim, mas ainda não recebeu notificação do Tribunal de Justiça do RN.

A promotora fez a representação de correição parcial dentro do próprio processo das escutas referente à celeridade com que foi dada a liberação das escutas. A promotora Isabel Pinheiro afirma que não vai falar sobre o assunto porque seria quebra de sigilo, já que o processo corre em segredo de justiça.

A liberação das escutas telefônicas com rapidez foi considerada crucial pela Segurança Pública do Estado para o bom desfecho do sequestro considerado o maior na história do estado.

Fonte: DN ONLINE

NOTA DO BLOG: Tem cada uma do Ministério Público que não dá para acreditar. 

1 comentários:

Anônimo disse...

O mundo todo vive assombrado com a força do Ministério Público. Isso se dá desde 05 de outubro de 1988, com a promulgação do Constituição Federal. Antes de 1988, o MP só servia para fazer júri popular. Hoje em dia a atuação do órgão ministerial é muito ampla.

Anna Maria