CONFUSÃO ACABA EM TIROTEIO, UMA PESSOA MORTA E DUAS BALEADAS NA VAQUEJA DO PARQUE MARIA AMÉLIA EM PATU

domingo, 13 de maio de 2012
VÍTIMA FATAL: Antonio César Pereira - "CARCARÁ"

Por volta das 02 horas e 40 minutos deste domingo, 13 de maio, foi registrado o 4º homicídio do ano na cidade de Patu. O fato se deu no Parque de Vaquejada Maria Amélia, localizado no sítio Baixa Grande, zona rural de Patu, distante apenas uns 02 KM da zona urbana do município, onde está sendo realizada uma vaquejada que teve início na última sexta feira, 11 de maio.
Segundo informações do Sargento PM ADONIAS, comandante do policiamento da 2ª Companhia de Patu nas últimas 24 horas, o fato se deu após uma discussão entre a vítima fatal ANTONIO CÉSAR PEREIRA, mais conhecido por "CARCARÁ", 37 anos de idade, servente de pedreiro, natural e residente nesta cidade de Patu e a pessoa conhecida por JOÃO CAMELO, também residente em Patu, que chegaram a vias de fatos e JOÃO CAMELO sacou uma arma de fogo, provavelmente um revólver e efetuou três disparos contra a vítima. 
Se envolveram também na confusão generalizada a pessoa de FRANCISCO UBIRATAN PEREIRA, 33 anos de idade, irmão da vítima fatal e MAGNO JALES FIDÉLIS DANTAS, 30 anos de idade, filho do autor dos disparos, os quais também foram atingidos pelos disparos efetuados por JOÃO CAMELO. 
Após a confusão, o autor dos disparos deixou o local e fugiu para local ainda desconhecido da polícia, já as três vítimas atingidas foram socorridas para o hospital municipal de Patu e em seguida transferidas para Mossoró, sendo que "CARCARÁ" morreu antes de chegar na cidade de Caraúbas, tendo o seu corpo retornado para Patu e agora pela manhã foi encaminhado para o ITEP em Mossoró para ser submetido a necropsia. 
O blog não tem informações sobre o estado de saúde das outras duas vítimas.
.
 
NOTA DO BLOG: Talvez alguém vá criticar a Polícia Militar porque não estava fazendo o policiamento do local, mas vale lembrar que o evento em questão é privado e a Polícia Militar não tem obrigação de policiar eventos privados, aliás, a PM está impedida legalmente de efetuar policiamento em eventos privados. Os organizadores devem contratar segurança privada para esses eventos privados, pois a prioridade da Polícia Militar é o policiamento ostensivo e não garantir a segurança de quem está se divertindo em ambiente privado. 
Sei que se fosse feita uma revista pessoal no maior número de pessoas possíveis, inibiria a presença de pessoas armadas no local, como foi o caso, mas a falta de efetivo e viaturas dificultam esse tipo de ação, além do que os comandantes estão impedidos por força de lei de convocar policiais militares que estejam de folga para esse tipo de serviço sem o pagamento de diárias operacionais, e como para o interior não existe diárias, fica difícil fazer um serviço a contento. 
É necessário e urgente um trabalho de abordagens à pessoas e veículos em Patu e na região, mas para isso todos os policiais precisam colaborar, doando a sociedade de bem, parte de sua folga pelo menos uma vez por mês. 
Esse esforço é para a segurança de todos e também a nossa, pense nisso.   


6 comentários:

Gaspar disse...

Amigo Vieira. Acho que o caminho não é por aí. Há de existir, como em toda a função pública, o compromisso com a coisa pública, e na Segurança Publica, além desta, com a Sociedade, pois, somos nós, a Sociedade que pagamos caro (E MUITO CARO) pelo modelo de Segurança que está em curso havia mais de 30 anos nesta região. Houve um flagrante na vaquejada, e entre este e a Comunidade, em detrimento de ser propriedade privada ou não, há de existir uma ação. É verdade que falta investimento e melhoras de salário por parte dos dirigentes politicos. O policial militar, como é visado, e muito visado, antes de tudo, tem que ser bem remunerado, pois, deve ter a seu favor a chamada DIGNIDADE HUMANA para exercer um bom trabalho.Contudo, somos todos nós testemunhas, e isso caminha há um bom tempo, que o trivial não é realizado pelas forças de segurança, não só aqui, como em outras praças. Por exemplo: VC sabe, nós todos sabemos que a nossa cidade ainda se sustenta atraves de um Banco do Brasil que toda a região depende dele, seja para pagamentos, seja para o recebimento de salários. Enfim, em dias certos, 10 - 20 e 30 ( o que todos sabem, pois é fato publico) de cada mes, vultuosas quantias circulam na agencia local, e não presenciamos sequer uma ação, um plano diferente, seja em abordagem, seja em blitz nos dias de pagamento. Veja, que o trivial,em materia de Segurança (modelos preventivos) ou ostensivos - as abordagens não ocorrem com frequencia. A desculpa da falta de pessoal e de estrutura não é mais aceita, pois, se sabe que em centros urbanos muito pequenos, como por exemplo em festas realizadas pela região afora (Riacho da Cruz - São Francisco do Oeste - etc), ocorrem blitz, abordagens, e não se usa o raciocinio da falta de estrutura e de pessoal para a não realização destas ações.Eu me lembro que há tempos atras, o meliante pensava duas vezes para vir agir em Patu. A nossa cidade empunhava um certo respeito, não só pelo povo que aqui habita, mas pela briosa PM que sempre deu exemplos de força e maestria na condução dos seus atos. O certo é que temos que pensar juntos, a Sociedade, a veriança, as classes organizadas, para adotar um modelo singular - USANDO O RACIOCINIO DO POUCO EFETIVO USADO PELO CARO BLOGUEIRO, para a adoçao de medidas, pois, como sabido, É PRAXE DO BRASILEIRO, se acomodar e SÓ FECHAR AS PORTAS QUANDO É LITERALMENTE ROUBADO.
Att Gaspar

Tiago Holanda disse...

É o pão e o circo girando forte junto á felicidade da ignorância em detrimento da dignidade com a geração do emprego e da renda. #Dilmacaradepau

Anônimo disse...

ola nao sou de Patu mais estava na vaquejada e, 2º comentarios que eu scutei a organização do evento foi tirado o alvara de licença para o evento, altomaticamente a PM teria sim direito de ir ater o evento do mesmo e ter feito a ronda.

PATUNEWS disse...

Amigo anônimo, você está equivocado quanto ao ALVARÁ, até onde sei não existe mais essa de pagar ALVARÁ para promover eventos e se existe essa taxa é paga a Secretaria de Segurança Pública, não tem nada haver com a Polícia Militar. Já disse e repito, a Polícia Militar estar impedida por força de lei de policiar eventos privados, quem quiser segurança nos seus eventos que contrate segurança particular. Eu não trabalho em eventos privados e ponto final.
Antes de participar de algum evento analise se o local lhe oferece segurança.

PATUNEWS disse...

Caro Gaspar, o número de homens empregados numa ação do tipo blitz e abordagem pessoal é importante sim, aliás é fundamental, não adianta querer fazer um serviço desse tipo com o efetivo insuficiente, portanto, a falta de efetivo se justifica sim para a não realização de algumas ações.
Não adiantaria nada quatro policiais fazer uma revista naquele local, pois segundo o que ouvi falar existia muita gente no local.

Anônimo disse...

Eu acho o seguinte, q enquanto se discute se a policia tinha ou não direito de fazer abordagem, o principal ta sendo esquecido, que é a segurança do cidadão de bem.entao chego a conclusao que : boa ave maria faz, quem em sua casa ta em paz. pq os organizadores desse evento, só visou o dinheiro que ia ganhar com a vaqueijada, que se dane os outros.fica a dica, pra não que não participe de certos eventos, q acontecem em nossa cidade, que só servem para se colocar a vida das pessoas em risco! cito outro exemplo disso: o forro de menino novo, é outro q não existe revistas e as pessoas entram armados e ate com drogas, como se presencia todo domingo. Entao pessoal, vejam os lugares, q se deve se divertir. FICA A DICA!