quinta-feira, 23 de outubro de 2014

RECONHECIMENTO DA RAÇA DE OVINOS SOINGA É DESTAQUE NO GLOBO RURAL DA REDE GLOBO

Ler na íntegra

 Galêgo de Eláido, um dos principais criadores da nova raça soinga e o criador da raça o veterinário José Paz de Melo.


“Esse reconhecimento é importante não apenas para o Rio Grande do Norte mas, acima de tudo, para os criadores brasileiros que vivem em condições adversas e que necessitam de animais que consumam pouco, ganhem peso, além de se reproduzir”, diz o médico veterinário José Paz de Melo, que estimulou o desenvolvimento do Soinga no RN. Foram mais de 20 anos de pesquisa em busca de criar um animal adequado para produzir boa carne e conviver com as condições adversas do semiárido do Nordeste brasileiro.


“O ovino Soinga é rústico, fértil e 100% nordestino. Ele tem sua origem nos cruzamentos dirigidos entre ovinos Bergamácia, Morada-Nova e Somalis Brasileira, daí ser extremamente resistente às condições da região semiárida e com carne de excelente qualidade”, destaca Melo.


CLIQUE AQUI e veja o vídeo reproduzido no Globo Rural sobre o reconhecimento da raça de ovinos soinga.

Texto: Tribuna do Norte
quarta-feira, 22 de outubro de 2014

USO PROLONGADO DE OMEPRAZOL PODE CAUSAR DEMÊNCIA

Ler na íntegra
Muito utilizado para prevenir úlcera, gastrite, refluxo e outros problemas gástricos, o omeprazol traz riscos pouco esperados para aqueles que exageram na automedicação: a falta de vitamina B12 no organismo.

Um estudo da operadora de plano de saúde norte-americana Kaiser Permanente avaliou a relação entre o consumo contínuo (por dois anos ou mais) de doses elevadas de omeprazol, que correspondem a 40 miligramas diários, e a falta de vitamina B12, que pode levar a problemas neurológicos graves, como demência e anemia.

Durante 14 anos (de 1997 a 2011), os especialistas fizeram a comparação entre um grupo de 25.956 pacientes com diagnóstico de déficit de vitamina B12, com outro de 184.199 pessoas sem esse transtorno. O resultado, publicado na revista Journal of the American Medical Association, concluiu que as pessoas que tomaram omeprazol ou similar durante muito tempo tinham 65% mais chances de ter níveis baixos de vitamina B12.

O estudo também mostrou que o risco para quem toma uma dose de 1,5 comprimidos por dia é 95% superior em comparação àqueles que usam uma dose reduzida pela metade dessa quantidade.

Os pacientes que utilizam o medicamento mediante consultas profissional não precisam se preocupar. A pesquisa, no entanto, recomenda que as pessoas que se automedicam devem, ao menos, reduzir a quantidade de remédio pela metade, ou ao menos fazer pausas entre um período e outro de uso. Assim, parte da quantidade de vitamina B12 necessária poderia ser recuperada pelo organismo.

Conscientização:

A notícia porém, não surpreendeu os médicos. Segundo o presidente da Seção de Medicina da Família e da Academia de Ciências Médicas de Bilbao, José Antonio Estévez, há mais de 5 anos os profissionais da saúde vinham ouvindo falar da existência de todos estes efeitos secundários, porém, não é fácil a sensibilização tanto dos profissionais de saúde como dos seus pacientes, fazer o uso mais racional do medicamento.

Ainda de acordo com o especialista, o surgimento do remédio foi uma verdadeira revolução no tratamento de úlceras gástricas – uma das principais indicações do medicamento.

Fonte: Notícias Naturais

ELEIÇÕES 2014: LEI SECA EM PATU SERÁ DAS 06:00 ÀS 18:00 HORAS DO DOMINGO, DIA 26 DE OUTUBRO

Ler na íntegra

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte determinou a suspensão da venda de bebidas alcoólicas em locais públicos entre 6h e 18h do próximo domingo (26).

A portaria é assinada pelo presidente do TRE-RN, desembargador Virgílio Macêdo Júnior, e por membros da Corregedoria e Procuradoria Regional Eleitoral.

Na publicação, o TRE-RN considera que "o voto consciente deve prevalecer em prol do fortalecimento do processo democrático, que não se coaduna com a ingestão, ainda que moderada, de bebidas alcoólicas, sabidamente capaz de afetar a capacidade de discernimento do ser humano".

De acordo com o tribunal, a medida restritiva de venda e consumo de bebidas alcoólicas tem mostrado eficácia esperada para a boa ordem do processo eleitoral nos pleitos anteriores no sentido de reduzir o número de ocorrências formalizadas e distúrbios nos locais de votação.

A medida vale para bares, restaurantes, supermercados e outros estabelecimentos similares em todo o Rio Grande do Norte.

NOTA DO PATUNEWS: No primeiro turno, o Dr. Valdir Flávio Lobo Maia, juiz eleitoral da 39ª Zona Eleitoral (Patu e Messias Targino), implantou a lei seca a partir das 08:00 horas de sábado até às 18:00 horas do domingo, nos municípios de Patu e Messias Targino, mas para o segundo turno das eleições, o Dr. Valdir Flávio seguiu o TRE e emitiu portaria implantando a lei seca na 39ª Zona Eleitoral das 06:00 às 18:00 horas de domingo, 26 de outubro, dia do segundo turno das eleições 2014.

MENSAGEM BÍBLICA

Ler na íntegra
E não ensinará mais cada um a seu próximo, nem cada um a seu irmão, dizendo: Conhecei ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor até ao maior deles, diz o Senhor; porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais me lembrarei dos seus pecados. Jeremias 31:34.

Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos. 1 João 3:2.

Fonte: Bíblia Online

COMO ILUMINAR UM QUARTO POR 40 DIAS TENDO COMO FONTE DE ENERGIA UMA BATATA

Ler na íntegra



O pesquisador Haim Rabinowitch e seus colegas dedicaram os últimos anos a tentar criar aparelhos “movidos a batata” – extraindo energia elétrica do tubérculo.

A ideia parece absurda, mas o cientista da Universidade Hebraica de Jerusalém em Israel, diz que, com placas de metal, fios e lâmpadas, é possível gerar energia assim.

“Uma batata tem potência suficiente para iluminar um quarto com lâmpada LED por 40 dias”, diz o Rabinowitch.

Os princípios desta técnica já são ensinados há anos nos colégios e conhecidos desde 1780, quando o italiano Luigi Galvani fez as primeiras experiências do tipo. Mas a tecnologia desenvolvida em laboratório aumenta muito a potência.

A bateria com material orgânico é criada com auxílio de dois metais: um ânodo (um metal como zinco, com eletrodos negativos) e um cátodo (cobre, que possui eletrodos positivos). O ácido dentro da batata forma uma reação química com o zinco e o cobre que libera elétrons, que fluem de um material para o outro. Nesse processo, a energia é liberada.
‘Super batata’

Em 2010, os cientistas da universidade de Jerusalém começaram a fazer experiências com diversos tipos de batatas para descobrir como aumentar a eficiência energética.

Eles descobriram que uma medida simples – cozinhar as batatas por oito minutos – quebra os tecidos orgânicos e reduz a resistência, facilitando o movimento dos elétrons e produzindo mais energia.

Outra mudança pequena – fatiar a batata em quatro ou cinco pedaços – aumentou a eficiência energética em até dez vezes.

Esses testes conseguiram comprovar que pode ser economicamente viável usar as batatas como fontes de energia.

“É energia de baixa voltagem, mas é suficiente para construir uma bateria que poderia carregar telefones celulares ou laptops em lugares onde não há rede de energia”, diz Rabinowitch.

A análise de custos que eles fizeram sugere que uma batata cozida ligada a placas de cobre e zinco pode gerar energia a um custo de US$ 9 por quilowatt-hora. O custo da energia gerada por uma pilha alcalina AA de 1,5 volt chega a ser 50 vezes maior. As lâmpadas de querosene – usadas em muitos ambientes remotos para iluminação – costumam ser seis vezes mais caras.
Alimento ou fonte de energia

Por que, então, as batatas não são usadas em todo o mundo como fonte de energia?

O mundo produziu, em 2010, 324 milhões de toneladas de batatas. O alimento é plantado em 130 países. É barato, fácil de ser estocado e dura muito tempo.

Com 1,2 bilhão de pessoas sem acesso a luz elétrica no mundo, a batata poderia ser a resposta. Rabinowich sugere que a falta de divulgação sobre a potencial da batata como fonte de energia elétrica é parte do problema.

Mas autoridades dizem que a questão é mais complexa.

Com tanta fome no mundo, o uso de alimentos como fonte de energia é polêmico.

“A primeira pergunta a se fazer é: há batatas suficiente para comermos”, pergunta Olivier Dubois, autoridade em recursos naturais da FAO, agência da ONU para agricultura e alimentos.

Há lugares em que isso seria impraticável. No Quênia, a batata só perde para o milho como fonte de alimentação.

Em outros países, há pesquisas para explorar a criação de energia com alimentos abundantes localmente. No Sri Lanka, pesquisadores estudam a forma de otimizar o uso da energia elétrica com bananas. As mesmas técnicas – cozinhar e fatiar – funcionaram.

Os custos de se desenvolver uma tecnologia desse tipo e distribuir entre pessoas que necessitam de energia elétrica podem parecer economicamente viáveis. Fabricar placas de zinco e cobre é mais barato do que uma lâmpada de querosene. Mas ainda há outro tipo de resistência à técnica.

Gaurav Manchanda vende painéis solares no Quênia, que são colocados nos telhados de casas. Ele diz que muitos dos seus clientes não procuram apenas seu produto devido à eficiência energética ou preço.

“Eles precisam ver valor no produto, não só em termos de desempenho, como também de status social”, conta Manchanda. Uma bateria a base de batatas não é algo que impressione muito a vizinhança.


Matéria de Jonathan Kalan
terça-feira, 21 de outubro de 2014

IMAGENS DO 2º ENCONTRO DE VEÍCULOS ANTIGOS EM MARTINS

Ler na íntegra
Aconteceu no último final de semana, dias 17, 18 e 19 de outubro de 2014, o 2º Encontro de Veículos Antigos de Martins.
O evento foi organizado pelo desembargador aposentado Deusdete Maia, contando com a colaboração de vários voluntários e colecionadores de carros antigos de várias cidades do estado.
Os veículos ficaram expostos na Praça Almino Afonso, no centro da cidade de Martins.




  




 



 




 



 















 Fotos: PatuNews
Desembargador aposentado Deusdete Maia, organizador do evento e proprietário da maioria dos veículos expostos.

RESENHA DA 1ª CAVALGADA DE SANTA TEREZINHA EM JANDUÍS-RN

Ler na íntegra

Seu menino, dona menina!! Pennnnnnnnse numa cavalgada boa!! Aninha, Paulinho, seu Quincas Gurgel e esposa, ao lado de toda família realizaram nesse final de semana a 1ª CAVALGADA DE SANTA TEREZINHA da cidade de Janduís-RN.

O evento contou com a participação de diversas equipes de cavalgadas de toda parte do sertão oestano. Estiveram presentes as comitivas de: Umarizal, Caraúbas, Almino Afonso, Patu (Grupo de Cavalgada Nossa Senhora dos Impossíveis), Itaú, Catolé do Rocha-PB, Messias Targino, Guamaré, Mossoró, Martins, dentre outras.

RESENHA DA CAVALGADA:

> Thiago Bento, de Almino Afonso, ou tem um burro muito religioso ou o danado está fraco das pernas. O burro, caboclo, foi visto de joelhos esfregando as ventas no chão durante a cavalgada com Thiago em cima.
> Nêgo Rosa do Leite, de Patu. Esse é melhor sustentar jumento com pão de ló do que sustentar ele com melancia. Na casa de Seu Quincas, às vezes que eu vi, ele comeu 23 fatias grandes de melancia e, digo mais, isso tudo depois de ter tomado café 8 vezes na saída da cavalgada. Perguntei a ele se ele ainda ia comer da feijoada no almoço. Ele me respondeu: "As melancias foram só de entrada para assanhar a fome".
> Novamente Thiago Bento. Ele falou que tinha levado uns preás pra cavalgada, mas o que falaram pra mim foi outra coisa. Disseram que: "Estavam desconfiando da veracidade do tira gosto, e ainda perguntaram pelos rabos dos petiscos.


















































































Fonte e Fotos: Blog do Jatão Vaqueiro